O conto do Pescador em Alto Mar

"Qualquer criatura que ele concebesse em seu intelecto, era imediatamente atraída para sua rede e pulava para fora d'água ao puxar de sua rede. E dizia: 'Quão maravilhoso é o Alto Mar'"
Havia um pescador sozinho em seu barco indo e vindo, remando e retornando em Alto Mar. Ao redor, não havia sinal de outros pescadores ou até mesmo de outros barcos, senão apenas a sua solitária embarcação e o seu pulsante desejo de pescar.
Sua visão se estendia do extremo Leste ao extremo Oeste, do extremo Norte ao extremo Sul e não se via outra coisa que não fosse uma espécie rara de pássaros semelhantes a labaredas de fogo que flutuavam no ar. O pescador sabe que este Mar é diferente, especial e sagrado.
Ele joga sua rede e tira os peixes d'água para dentro de seu barco, repetindo o procedimento tantas outras vezes, dia após dia, ontem, hoje e amanhã. Qualquer criatura que ele concebesse em seu intelecto, era imediatamente atraída para sua rede e pulava para fora d'água ao puxar de sua rede. E dizia: "Quão maravilhoso é o Alto Mar" - e assim ele vive, viveu e viverá, repetindo sua pescaria ao canto dos pássaros que se assemelham as labaredas de fogo.

Texto escrito por Alef Yaakov.

Todos os direitos reservados da Academia Merkabah.

93 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo